Santa Rita: Tubulações para PCHs e CGHs

Santa Rita - Tubulações para PCH e CGH

As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) são usinas hidrelétricas de tamanho e potência relativamente reduzidos, conforme classificação feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 1997. Esses empreendimentos têm, obrigatoriamente, entre 5 e 50 megawatts (MW) de potência e devem ter menos de 13 km² de área de reservatório. As PCHs são hoje responsáveis por cerca de 3,5% de toda a capacidade instalada do sistema interligado nacional.

O início da exploração das PCHs no Brasil aconteceu a partir 1997, quando foi extinto o monopólio do Estado no setor elétrico e centenas de empresas empenharam recursos na elaboração de estudos e projetos de geração de energia renovável. Daquela época até hoje, mais de R$ 1 bilhão foram aplicados por investidores privados na elaboração e no licenciamento ambiental de cerca de 1000 projetos de PCHs, totalizando mais de 9.000 MW em empreendimentos protocolados na Aneel – destes, porém, cerca de 7.000 MW ainda aguardam análise a aprovação do órgão regulador.

As Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs) também são geradoras de energia que utilizam o potencial hidrelétrico para sua produção. A diferença é que as CGHs são ainda menores, tanto em termos de tamanho quanto de potência. De acordo com a classificação da Agência Nacional de Energia Elétrica, esses empreendimentos podem ter o potencial de gerar de 0 até 5MW de energia.

O Brasil conta com 732 unidades de CGHs em operação instaladas em todo seu território, que representam 808.665,67 kilowatts (kW) de potência instalada.

Os potenciais de PCHs e CGHS somam um total considerável em operação de 6.178.706,16 kW outorgadas, distribuindo energia a todo o território brasileiro e sendo uma fonte de baixos impactos ambientais. Em termos de potência já instalada, as PCHs estão situadas em 5º lugar entre as fontes de energia do país com um pouco mais de 7.138.988,54 kW gerados. E as CGHs ocupando o 7º lugar com 822.877,67 kW gerados.

Em termos de potência já instalada, as PCHs estão situadas em 4º lugar entre as fontes de energia do país com 5.271 kW gerados. À frente delas, estão as Eólicas (EOL) em 3º lugar com 15.099 kW em operação, já em 2º lugar estão as Termelétricas (UTE) 41.952 kW e as Usinas Hidrelétricas (UHE), que lideram o ranking com 102.532 kW.

As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e as Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs) são empreendimentos de baixo impacto ambiental, sendo assim de grande importância para o ecossistema, uma vez que protegem as margens dos rios contra erosão e fazem o uso múltiplo das águas para irrigação, pscicultura, lazer e abastecimento para o município.

A energia gerada por PCHs e CGHs são a forma mais efetiva de reduzir as tarifas da conta de energia e a menos poluente entre toda a cadeia de geração e também a mais limpa entre as outras fontes renováveis.

A Santa Rita atua neste relevante setor de forma expressiva com o fornecimento de tubulações para adução e conduto forçado. São tubos de aço com costura helicoidal com diâmetros de até 2.540mm, além de conexões em aço, acoplamentos mecânicos, peças especiais, manifolds e revestimentos. Para aplicações como esta, é fundamental escolher fornecedores de equipamentos que garantam qualidade e confiabilidade para a plena operação do sistema, uma vez que o custo de paradas para manutenções não programadas pode gerar prejuízos de milhões de reais.

Fontes:

ABRAPCH – Associação Brasileira de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs)

ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Mais Posts:

Santa Rita - Tubo Galvanizado Unido por Acoplamento

Santa Rita – Tubulações Galvanizadas Unidas por Acoplamentos

A escolha do sistema de tubos helicoidais em aço, galvanizados e unidos por acoplamentos oferece benefícios técnicos, operacionais e econômicos, uma vez que durabilidade, resistência mecânica, facilidade na montagem, agilidade na entrega e baixo custo de aquisição e manutenção são pontos essenciais para êxito do projeto.

Santa Rita - Tubulações para PCH e CGH

Santa Rita: Tubulações para PCHs e CGHs

A Santa Rita atua neste relevante setor de forma expressiva com o fornecimento de tubulações para adução e conduto forçado. São tubos de aço com costura helicoidal com diâmetros de até 2.540mm, além de conexões em aço, acoplamentos mecânicos, peças especiais, manifolds e revestimentos. Para aplicações como esta, é fundamental escolher fornecedores de equipamentos que garantam qualidade e confiabilidade para a plena operação do sistema.

Santa Rita - Tubulação para Irrigação

Santa Rita: Tubulações para a Irrigação

A agricultura irrigada avança de forma consistente no Brasil. De meados dos anos 1980, quando cobria 1,5 milhão de hectares no país, passou a 5,1 milhões de hectares em 2014 e a 8,4 milhões de hectares em 2020. Mas tão importante quanto multiplicar quase seis vezes a área irrigada, foi garantir a evolução dos sistemas empregados em campo, com maior eficiência no uso da água, energia, mão de obra, automação e operacionalização.

Santa Rita – Soluções Tubulares para o Rodoanel

Santa Rita – Soluções Tubulares para o Rodoanel

Na grande maioria dos viadutos do Rodoanel, tanto nos trechos de ida quanto de volta, foram fornecidos tubos helicoidais em aço carbono, galvanizados, unidos pelo acoplamentos mecânicos flexíveis S20. Além disso, a companhia também pôde entregar os suportes das tubulações, bem como conexões-padrão e conexões sanfonadas ao projeto.

Santa Rita: Soluções Tubulações para o Setor Sucroalcooleiro

Santa Rita: Tubulações para o Setor Sucroalcooleiro

A Santa Rita Soluções Tubulares acumula inúmeros fornecimentos de sucesso no país por meio de sua excelência organizacional e, acima de tudo, através da constante busca pela qualidade e solidez no relacionamento com seus clientes.
No Agronegócio, especificamente dentro do setor sucroalcooleiro, é consolidada e atende relevantes companhias agrícolas nacionais e grupos produtores e beneficiadores de etanol e biodiesel do país.

Santa Rita - Soluções Tubulares para a Mineração

Mineração Brasileira e a Santa Rita Soluções Tubulares

O cenário para o setor de mineração é favorável aos investimentos. A expectativa dos especialistas é de que alcancem cerca de US$ 38 bilhões até 2024, valor 40% superior ao previsto no período 2019-2023.
O trabalho da Santa Rita é constante e os investimentos em melhorias técnicas são permanentes para atender de forma exemplar a mineração nacional e contribuir na prosperidade do Brasil.